» DICAS DE CULTIVO DE ORQUÍDEAS – 03

Atualizados recentemente146

 

Fazendo mudas de orquídeas                          

  1. Por divisão de RIZOMA
  • Esse processo de obtenção de mudas é o mais simples e pode ser aplicado para aquelas espécies que apresentam rizomas ou formam “touceiras”.
  • RIZOMA é o “caule” que une um pseudobulbo (popularmente chamado de “bulbo”) a outro.
  • Uma muda deve ter no mínimo 4 “bulbos” como no caso das orquídeas Cattleya, Laelia e as demais plantas de crescimento semelhante, incluídas as híbridas.
  • Para as orquídeas que formam touceiras como no caso da Cymbidium e Catasetum cada muda deverá ter no mínimo 4 “bulbos”.
  • Esse procedimento garante a floração já do próximo “bulbo” que irá se formar.
  • Lembre-se: a muda (corte) deverá ser feita logo após a floração. Para fazer o plantio tome o cuidado de envolver o rizoma com um pouco de musgo branco (esfagno) para proteger as novas raízes que irão se formar. A muda replantada deverá ser mantida em um ambiente sombreado e fresco. As regas e adubações estão explicadas no texto de Dicas nº 1 e 2.

 

  1. Por divisão de FASCÍCULOS
  • Esse processo de obtenção de muda é o indicado para aquelas orquídeas que formam “leques” ou fascículos (termo botânico correto), como no caso dos “sapatinhos”, nome popular das orquídeas dos gêneros Paphiopedilum, Phragmipedium, Selenipedium, Cypripedium e Mexipedium. A muda deverá ter, no mínimo, 3 fascículos, mas para garantir a floração já no ano seguinte a muda deverá ter 4 fascículos.
  • Lembre-se de que esse tipo de orquídea precisa de um substrato bem drenado, rico em matéria orgânica e de baixa granulação (não utilize terra de jardim ou falsas “terras vegetais”).

 

  1. Por mudas aéreas
  • Mudas aéreas costumam surgir espontaneamente em algumas espécies de orquídeas, quando as plantas sofrem algum tipo de estresse. Enquadram-se nesse grupo as orquídeas Dendrobium (olho de boneca), Phalaenopsis e outros como Arundina bambusifolia (orquídea bambu) e Epidendrum.
  • Atenção, essas mudas devem ser destacadas da planta-mãe somente quando atingirem a maturidade, ou seja, em média depois de 2 a 3 anos. Quando as mudas são destacadas precocemente, na maioria das vezes elas terminam morrendo. No caso de Arundina bambusifolia uma muda aérea está no ponto de plantio apenas quando ela se desprender espontaneamente da planta-mãe, o que ocorre geralmente depois de 12 a 18 meses.

 

  1. Por “keikis”
  • Esse é um processo de obtenção de muda a partir de caules ou hastes florais de algumas espécies de orquídeas. Neste processo a haste floral de Phalaenopsis, por exemplo, e os caules de Dendrobium, Cyrtopodium ou Phaius são lavados e depois colocados numa bandeja com uma camada de musgo/esfagno (mantido sempre umedecido, porém nunca encharcado) que deverá ser conservado em lugar fresco e sombreado. Depois de algumas semanas surgirão nos entrenós, as geminhas que darão origem a pequenas mudas.