» DICAS DE CULTIVO DE ORQUÍDEAS – 05

DownloadsControle de pragas de orquídeas, parte 1

Apresentamos nesta ficha de dicas, uma tabela básica de orientação para o controle de pragas que podem atacar suas orquídeas. Voltaremos a escrever sobre o assunto nas próximas atualizações deste site, que são realizadas mensalmente.

CONTROLE /PRODUTO PRAGA/ MODO DE AÇÃO
 

Malatol

(Malathion)

1. Toxidade vegetal e animal varia de acordo com a sua concentração.

2. Age por contato direto, ação residual ou por ingestão.

3. Existem frascos comerciais já com pulverizadores.

 

 

Tamaron

(Metamidofós)

Produto de elevado risco de toxidade vegetal e animal, mesmo em baixa concentração.

 

Besouros

Comem espatas, botões florais e folhas novas.   Depositam ovos nas folhas e caules, recomeçando o ciclo reprodutivo.

Moscas, mosca branca

Pequenos insetos que podem depositar ovos dentro das raízes, provocando deformidades nas mesmas e prejudicando suas funções.

Larva mineira (Mordelistena cattleyana)

Besourinho marrom com cerca de 2 a 2,5 mm que injeta seus ovos nas folhas, os quais resultam em pequenas larvas que se alimentam do parênquima foliar, formando túneis semelhantes às galerias de minas.

Cochonilhas

Existem dezenas de espécies que podem atacar as orquídeas. Instalam-se nas folhas e suas axilas, nos caules e rizomas. Infestação difícil de tratar.

Pulgões

São pequenos insetos de 2 a 2,5 mm, cores variáveis e de aspecto translúcido que sugam a seiva das folhas e botões florais.

Tenthecoris bicolor

Insetos semelhantes a pequenas baratinhas de cor amarela que sugam a seiva das folhas, deixando manchas circulares de clorose. Atacam em “enxames”. As manchas cloróticas apresentam um “ponto” central.

ISCAS Tatuzinhos

Alimentam-se das raízes. O controle é feito com iscas conforme protocolo divulgado no programa GLOBO RURAL:

1 kg de farelo de trigo + 50 g de melaço + 10 g de defensivo à base de CARBAMATO (que é menos tóxico e oferece menor risco à saúde humana). Misturar os ingredientes com água para formar uma massa firme. Espalhar pequenas porções da isca ao redor das plantas.

 

 

 

Consultar um agrônomo sobre defensivos de ação sistêmica.

Esses produtos são altamente tóxicos e são controlados (“tarja preta”).

Trips (Themios trips) vespas amarelas ou lacerdinhas

Insetos minúsculos que mal atingem 1 mm. Seus ovos são depositados sobre as folhas dos quais eclodem as larvas que se alimentam das folhas formando verdadeiras trilhas que ficam com a cor escurecida. Também atacam as flores provocando lesões.

Vespas

Algumas espécies oportunistas ou não, depositam ovos nas raízes. As larvas devoram as raízes ou lhes provocam deformações.

Lagartas

De borboletas ou mariposas que podem eventualmente invadir um orquidário e se alimentar das folhas das plantas.

Ácaros

Algumas espécies dessas pragas sugadoras de seiva, semelhantes a pequenas “aranha,” atacam as folhas das orquídeas.

lesmicidas/iscas Lesma e demais moluscos (caracol e caramujos).
TROCA DE SUBSTRATO Nematóides

O único recurso é a troca de substrato, incinerando o contaminado.